– Poema Bicho de Michel Melamed

images“Você revolta o papel

Amor da minha vida

Assim greno no mundo

te pegando nele

Querida-me

Sua nua despida

Coitadinho do mundinho agora

e tudo que uma pedra alcança

O retrato de um olho fechando

vendendo-se dentro

tudo que existe

A dor de mil nadas

Céu sem você

Velocidade da morte

Mais uma frase na direção errada

Lamber a labareda do sal da tua cara

Morrer

Mordendo

Ela

As listas sem urgências já não resistem

Cheio de poema sem poesia

A água injetada que não toca o fundo

Náusea musical

Com as costas do vento do que é móvel e nunca sai do lugar

A memória frita

Meu último anjo

Essa viagem sem primeiros dias

e as frases curtas e seus estacionamentos lotados

Todas as portas da historia

Um movimento de um tombo dentro da terra

O que rolou agora

segue seguindo

Bicho

Bicho

Bicho

Não tem este peso

Bicho

Bicho

A armadura furada de dentro pra fora

Bicho

Bicho

Sua influência visível em tudo não te conhece

o tempo morto de vergonha

Se eu não conseguir me lembrar da frase que não conseguir te dizer, vale o não dito

Bicho

Bicho

A gente namorando junto

A falta que faz me devolve uma vida toda todos os dias

Me dá

Me dá

O riso do sonho incompleto

quando a gente se conhecer vai parecer que ainda se conhecia

Barbatanas das asas no lugar

Te quero

Como faz?”

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s